17.4.14

Mil e umas Fases



 Por mais que eu tente não consigo, é inevitável. Meu egocentrismo sempre fala mais alto, é tenho que confessar. 

  Falar de mim, de certa maneira é sempre complicado, não que eu tenha tantos mistérios assim, mas gosto de complicar as coisas, gosto de detalhes, pequenas coisas pra mim são de mera importância, dou valor demais as palavras, talvez seja isso. 

  Estou entre uma contradição em outra, juntando todos os adjetivos desses signos, pode-se facilmente me definir: teimosa, inconstante, possessiva e carente. Uma mistura peculiar que talvez tenha dado certo. Um tanto incompreensível, às vezes eu mesma não me entendo, sou feita dos sentimentos mais extremos, viciada por amor, atraída pelo ódio, e angustiada pela saudade. Meu ponto fraco talvez se chame outros. 

   É estranho, mas é a verdade, os outros conseguem modificar o meu humor constantemente, luto sempre contra esse defeito, pois é o que eu mais odeio em alguém. Não gosto de mudanças, mas mudo cada vez que o sol se vai.

   Tenho facilidade com as palavras e uma grande dificuldade com atitudes, uso a escrita para dizer tudo que penso, talvez porque ao dizer você obriga o outro a escutar, ao escrever a pessoa lê se tiver vontade, assim eu não tenho o controle sobre o futuro, e o passado não tem o controle sobre mim.

  Já tive muitas paixões, se quer saber sempre vivi em um certo tipo de romance, seja por uma pessoa ou até mesmo por objetivo. Para alguns eu sou mais uma garota querendo ser diferente para outros eu sou a própria diferença.