1.5.14

Resenha: A menina que colecionava borboletas



Resenha do blog : Just Carol 


Título: A menina que colecionava borboletas
Autora: Bruna Vieira
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 152
Classificação pessoal: ♥♥♥♥


Depois dos quinze acontece um monte de coisa,Nossos planos ficam mais estruturados, aprendemos a lidar com mais responsabilidades e, definitivamente, esperamos que todas as nossas borboletas - guardadas e colecionadas - voem por aí. Não é egoísmo ou teimosia. Apenas aprendemos a desejar e esperar que a tal liberdade venha junto aos planos de cada um... 

Não é curioso? Não é incrível? Não é libertador saber que cada pessoa encontra motivo para viver em coisas completamente diferentes? Eu acho. (página 25)

   Foto: Jaqueline Lima


Dois livros depois, mais crescimentos, sonhos e trabalhos depois, Bruna Vieira volta a publicar suas palavras (as mais sinceras,e mais verdadeiras) em um livro. A Bruna que encontramos, em ‘A menina que colecionava borboletas’ é mais confiante e segura de si, sempre buscando metáforas, lições, mensagens que a ajude a entender essa rede tão complexa que é a vida.

 Com quase 20 anos, entendi que é um erro se anular tanto por alguma coisa, seja para fazer parte de um grupo social, conquistar o coração de alguém, seja simplesmente para ser promovido no trabalho. (página 15)

  

“Crescer é assim. você aumenta de tamanho e ganha mais espaço aí dentro.”

“Mas eu detesto esse vazio, meu senhor.”

“E quem gosta, garota?” (página 39)


    Foto: Jaqueline Lima


Em seu terceiro livro, Bruna traz uma coletânea de 48 textos curtos sobre liberdade, planos, erros, amadurecimento e, claro, amor e relacionamentos,O que mais me atrai, em suas palavras, é a interação. Enquanto leio, é como se eu mesma, Kamilly, estivesse ali... Batendo um papo com a Bruna, sempre descontraída e sincera. Em muitos textos, também, ela ‘me lê’, de modo que eu sou muito mais revelada, em suas palavras, do que ela revela a si mesma.

 Adoro farofa com ovo, tenho a maior preguiça de fazer as unhas e de vez em quando choro por me sentir sozinha nesta cidade. Mas ó, a maior parte do tempo sou muitíssimo feliz. (página 21)

    Foto: Jaqueline Lima



A leitura flui de modo fácil, e a diagramação é impecável: com direito à ilustrações entre as crônicas e, no final, aquele bônus ‘Leia este livro ouvindo’ que virou marca registrada dos livros de crônicas da autora. A Bruna tem uma maneira muito bonita de pensar a arte e a escrita, e talvez por isso seu trabalho seja tão bonito e caprichado. 

Nessa vida estamos todos nos adaptando a alguma coisa. Todos. Eu, você, as inimigas, o pobre coitado do entregador de pizza que detesta dias chuvosos como hoje e até a polêmica Miley Cyrus. No final das contas, em realidades um tanto diferentes, óbvio, queremos basicamente a mesma coisa dos dias que vêm e vão: paz. (página 39) 

'A menina que colecionava borboletas' é uma companhia para se apreciar aos poucos, colecionando sentimentos, palavras e aprendizagens. ♥ 

    Foto: Jaqueline Lima


Para superar de verdade nossos problemas, precisamos nos reinventar. Mergulhar dentro dos próprios pensamentos e encontrar uma pontinha de esperança que nos faça querer seguir em frente e parar de chamar tanta atenção para algo que, no final das contas, é só nosso.

 (Bruna Vieira, trecho do livro ‘A menina que colecionava borboletas’, página 22)


Vocês já leram algum livro da Bruna? Curtem textos sobre amor e relacionamentos?  

Então deixem aqui no comentários sua opinião.